Não troque o certo pelo duvidoso – Dia 30 Vote Carlos Grana 13

14523153_962506203861849_7604855879250102330_n

 

 

 

Você não gosta de político, não é? Você não quis votar no primeiro turno das eleições, porque está decepcionado com a política, não é isso?
Talvez, você tenha razão. Nos últimos meses, o Brasil passou por um vendaval. Mudou tudo no País. Passando por cima da tua vontade, os direitos sociais que a gente vinha construindo, vão acabar. A educação e a saúde pública correm perigo. A jornada de trabalho vai ser, agora, de 12 horas diárias. Os salários vão ser congelados e o teu Fundo de Garantia vai desaparecer.
Algumas dessas maldades já estão sendo encaminhadas pelo governo federal. Agora, o que talvez, você não saiba é que essas maldades também vão ser colocadas em práticas nos municípios. Em São Paulo, por exemplo, o novo prefeito eleito apesar de esconder o que pensava durante campanha eleitoral, já anunciou que vai vender o Anhembi e o Sambódromo, o Estádio do Pacaembu, o autódromo de Interlagos, o Parque do Ibirapuera e, pasmem, já anunciou que vai entregar os CEUs para a iniciativa privada, o que significará cobrança de ingressos para o povão frequentar.
A mesma coisa pode acontecer aqui em Santo André. O candidato do ódio pouco falou durante a sua campanha eleitoral. Não disse a que veio. Não apresentou propostas que a gente pudesse debater. Limitou-se a ideias genéricas. Pois esse mesmo candidato, do mesmo partido do novo prefeito eleito em São Paulo, poderá seguir a mesma lógica.
Antes de eleito, ninguém é maluco de propor maldades. Mas, pode estar certo, que a tua decepção com os políticos e com a política são porque aqueles que te fazem acreditar no paraíso na terra, na promessa fácil e benefícios exuberantes, na verdade não passam de palavras vazias e sem conteúdo. Mentiras, pra falar o correto. Travestem-se de bons moços, de gestores e procuram ficar bem distantes do jeito tradicional de fazer política. Mas na hora do “vamos ver” fazem exatamente o contrário do que propunham. Desdizem o que prometeram, desmentem o que escreveram. Ou seja, fazem exatamente o que o político tradicional sempre fez.
O governador de São Paulo, por exemplo, prometeu, durante as eleições de 2013, trazer o ‘Expresso Luz” para o ABC; uma linha de trem expressa que parasse em Santo André. Passou a eleição, a promessa não veio e pior, os lotados trens da CPTM passaram a não ir mais para a Estação da Luz.
Aí, você, eleitor de boa fé fica completamente à mercê da mediocridade e mesquinharia da política. É por isso que você acaba caindo na armadilha da foto bonitinha, da frase de efeito bem escrita e bem bolada. E a tua descrença só aumenta.
Neste segundo turno, em Santo André, existem dois projetos políticos que disputarão o seu voto. O tradicional, travestido de coisa nova, e o de Carlos Grana que mostra o que já fez na cidade e o que vai fazer. Um projeto realizador, pé no chão, real, possível e baseado na lealdade com o povo. Carlos Grana não irá cobrar ingressos para que você entre em quaisquer parque da cidade, não irá vender o Semasa, não irá instalar pedágios nas principais vias públicas da cidade, não venderá o Hospital da Mulher, não acabará com as farmácias 24 horas, não congelará os salários dos servidores, não cancelará concursos públicos, não acabará com programas sociais que dão conta do combate à violência contra a mulher, contra a discriminação racial e ao combate às drogas e não ira acabar com o passe livre escolar.
Não troque o certo pelo duvidoso. Não troque a política clara e transparente, pela tradicional. Aquela que você não gosta.